VERGONHA POLÍTICA – COLIGAÇÕES MINEIRAS TRAVAM GUERRA NA JUSTIÇA

11 set

¨¨E apesar disso tudo, os números ainda mostram que, o valor que o eleitor paga através do governo pelo seu voto, é muito caro!”  ( reflitam antes de escolherem seus candidatos …. )

( Isaac do Ziriguidum )

Teve início uma nova guerra judicial travada entre as campanhas de Hélio Costa (PMDB) e Antonio Anastasia (PSDB), ambos candidatos ao Governo de Minas. Desta vez o foco são os convênios firmados entre o Estado e os municípios. E até dados do Governo federal foram incluídos na troca de farpas.

A coligação “Todos Juntos por Minas”, que representa a candidatura de Costa, entrou com ação junto ao Tribunal Regional Eleitoral contra a coligação adversária, a “Somos Minas Gerais”, de Anastasia. A alegação é a de que o candidato à reeleição incorreu em crime de abuso de poder político e econômico por ter firmado convênios com prefeituras, segundo a campanha peemedebista, depois do período permitido por lei. Os advogados de Costa classificam a medida como “abusiva” e pedem a cassação do registro do rival. O foco da disputa foram reuniões de Anastasia com a prefeitada no Palácio Tiradentes.

A resposta veio rápido. A coligação tucana se prontificou em atacar a medida. Por meio de nota, informou que a assessoria jurídica vai apresentar a defesa “atestando a plena regularidade dos convênios firmados entre o Governo de Minas e as prefeituras mineiras este ano”. A justificativa é a de que não foram repassados recursos aos municípios no período que antecede ao eleições, sendo que as transferências foram encerradas no dia 3 de julho, como prevê a legislação.

Além de se defender, a campanha centra fogo no Governo federal, administrado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), rival do tucanato e aliado de Costa. “Por determinação do governador Antonio Anastasia, o Governo de Minas interrompeu também, na mesma data (3 de julho), a assinatura de novos convênios, ao contrário da decisão do governo federal que mantém inalterada essa rotina junto às prefeituras e entidades sociais, conforme atestam as publicações do Diário da União e registros do Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira) federal”, diz a nota.

A coligação “Somos Minas Gerais” apresenta números para contestar a campanha adversária. Segundo os tucanos, de janeiro ao dia 31 de agosto deste ano, a União empenhou recursos do orçamento para 16.436 convênios municipais. No mesmo período de 2009, o número teria sido de 1.905. O aumento, de acordo com as informações do PSDB, foi de 762%. O total de recursos repassados para os prefeitos somou R$ 4,9 bilhões em 2010 frente a R$ 1,1 bilhão em 2009.

A disputa judicial tem uma razão. São os prefeitos os maiores cabos eleitorais dos candidatos no interior. Por isso, volta e meia a prefeitada está no foco das campanhas. Eles são procurados pelos coordenadores e deputados para alavancar a disputa em suas regiões.

por: Amália Goulart – 10/09/2010 – Hoje em dia
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: